quinta-feira

Prazer invulgar

Na literatura dos sentidos
Percorro as tuas linhas
Acaricio teus versos

Cada silaba sorvida serena
- sensual cadência -
Toda estrofe palmeada com zelo

Com a calma dos amantes maduros
- Senhores seguros -
Desnudo tua alma pelas letras

Possuo-te além da matéria
Em comunhão etérea
Derramo-me em ti

3 comentários:

Verso Aberto disse...

encontrei este poema do André Viana (no qual - nos versos - irmano-me) no site adulto Revelar e Sentir.

o site é muito bom, mas meus amigos menores terão que esperar um pouco rsrsrs

por isso, publico os versos aqui

são fortes, sim
têm a força da natureza humana

abração

MIRZE disse...

Bela escolha, mano!

Os jovens hoje em dia sabem tantas coisas que sequer imagino. Isto é literatura e boa.

Beijos

Mirze

Verso Aberto disse...

oi Mirze
a poesia é uma comunhão etérea
é uma declaração de amor à vida
uma vida real
de carne osso palavra

abs mana