quarta-feira

Jazz com jeito de Blues


aperta o peito
deleitar-me
deito a embalar-me
ouço
um jazz com jeito de blues  

em sua voz incandescente
clarins desvendar sons
ouço
um jazz com jeito de blues  

venha improvisar
no suor de seu corpo nu
ecoar traduzir encanto  

ainda sonho
adoçar-me  
com seu canto leve
e mais  

ao som do éden
jurar
sempre ouvi-la cantar
o seu jazz
meu blues


16 comentários:

Verso Aberto disse...

Oi gente! Já contei aqui que estes textos não são tradução nem versão das músicas.

São poesias, obras distintas, inspiradas nelas apenas. Uma brincadeira amena, sem pretensões.

As canções são aquelas que, numa maneira ou outra, me marcaram. A idéia é pegar esta impressão emocional que ficou e fazer dela um poeminha que encaixa na melodia.

Assim, eles podem ser cantarolados, como este, na companhia de um bom vinho e ao lado de seu grande amor.

Espero que gostem

abração

Verso Aberto disse...

Ah, faltou falar da canção "The Nearnes of You" que é bem antiga, 1938, foi lançada pelo cinema e gravada por muita, muita gente.

Mas, a versão que dos meus ouvidos é com Ella Fitzgerald e Louis Armstrong, em 1956, no disco "Ella e Louis".

Dois gigantes, como se pode comprovar na gravação anexada.

Podem furar o disco, virtualmente, claro rsrrs

abs

Tania regina Contreiras disse...

Uau, eu adorei. Poema, sim, mas altamente musical. E já comecei a furar o disco...rs Falta o vinho hoje, mas volto com ele depois.

beijos,

Verso Aberto disse...

oi Tânia
e se o grande amor estiver só no peito
põe ele junto na taça rsrs

obrigado pela visita

abração

Macabea de La Mancha disse...

Amei, amei, amei de paixão!

Saudades destes espaços virtuais.. Quero voltar!

Abraço!

Macabéa

paulo vieira disse...

pizano, gostei do poema. esta experiência de aliar o som do jaz, com as emoçoes que certa músicas te causaram resultaram num bom exercício poético. obrigado pela visita lá no meu blog, e pelas palavras, que me fizeram muito bem. pintar cada dia fica mais difícil, mas sei que é assim mesmo. abç!

paulo vieira

Assis Freitas disse...

este disco está no meu toca-fita virtual, jazz in blue



abraço

Verso Aberto disse...

Macabea
também estava com saudades
que bom que você gostou

a casa é sua
entre e fique à vontade
e volte sempre

abração

Verso Aberto disse...

rapaz, facilidades?
tem mas acabô!!! rsrs

você é bom Vieira
e
por isso
a vida será boa pra você
certamente

há mais experiências destas no marcador "sala de música"
a maioria poderia ter dado melhor resultado
vou revisitá-las num dia

assim como você deve fazer aqui
que é também sua casa

abração de um grande amigo

Verso Aberto disse...

Assis, meu velho
como eu gostaria de encontrar você um dia para conversar sobre estas pequenas bobagens da vida...

gosto muito da sua escrita
desejo um milhão de poemas para você

abs

Adriana Aleixo disse...

Delícia de mistura, Pizano! Tempos áureos, Ella e Louis... perfeitos!!!

Beijinho!

Verso Aberto disse...

se houvesse perfeição
eles seriam sua máxima expressão

obrigado pela gentileza Adriana

abração

Fred Caju disse...

Te li lá no Tertúlia Pão de Queijo e vim dar uma conferida. Saldo vantajoso em ter feito a viagem!

Verso Aberto disse...

Que bom Fred
posso dizer o mesmo da minha viagem ao seu blog

boas palavras precisam de boas moradas

abração

MIRZE disse...

Meu blues preferido: "The Nearnes of You". Um duo fantástico! The senrations, sensações que esse blues traz e ninguém esquece.

Lindo, mano!

Beijos

Mirze

Verso Aberto disse...

oi Mirze

este canto leve
aperta o peito mesmo

abração mana