sábado

Os tolos toleram

Três Dias - Paulo Vieira


repousas sobre teu desprezo de nascença

enquanto hospedas o caos
trituras gentes
assassinas sonhos

tua revolta é rasteira
brega falsa
pele de vampiro sobre caretice cordeira

o vento soletra teu verdadeiro nome
enquanto cronometra minha dor de uretra
e sopra sobre a ferida
a certeza de que só este verso será terra sobre mim


.

4 comentários:

Assis Freitas disse...

um poema que Augusto dos Anjos assinaria, demais



abraço

Tania regina Contreiras disse...

enquanto cronometra minha dor de uretra
e sopra sobre a ferida
a certeza de que só este verso será terra sobre mim

Nossa, que poema!

Beijos,

Verso Aberto disse...

boa lembrança Assis

que a inteligente acidez crítica dele
venha temperar os mornos tempos atuais

abs



Verso Aberto disse...

é Tânia

há momentos em que precisamos
ficar pele e osso
para perceber a alma

enterremo-nos de versos