quarta-feira

Pele de pétala


o sol na pele sua
aguarela no dorso
no finzinho da tarde

como flor airosa
espera que a lua
no céu se guarde
e garbosa aguarde
a noite quente
chuvosa

ah
e no banho
      charmosa
ela se veste de longo
      se despe de rosa


.

10 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

"Despir-se de rosa"....Gostei disso! :-)
Beijos,

Verso Aberto disse...

oi Tânia, que bom que gostou!

sabe
eu usei primeiro a ênclise
mas achei que truncou
aí fui no coloquial e usei a próclise
na tentativa de dar mais fluência ao final

abração procê viu

Anônimo disse...

Coisa mais singela essa tua poesia!
Inspiradíssimo, ocê!

Beijo!

Assis Freitas disse...

um desvestimento (isso existe?)desnudeando-se


abraço

Verso Aberto disse...

oi Adriana

a beleza
nos detalhes
faz parte da realidade da vida

é que a gente não tem encontrado tempo para olhar para ela

abração Adriana

Verso Aberto disse...

concebido em poesia
tudo existe meu caro Assis

abs

MA FERREIRA disse...

Dom é dom né Marco?
Entendo nada de enclise e proclise..
mas meu coração entende o que é belo.... amei teu poema!!!!!!!

( estou ausente dos blogs..... volto só em Novembro )! vou expor em Paris! ebba!!


Verso Aberto disse...

oi Ma
muito obrigado

você é que é muito gentil

sucesso na expo em Paris

abs

Lucielle Wiermann disse...

lindo!

Verso Aberto disse...

oi lucielle

obrigado

abração