quarta-feira

Pele de pétala


o sol na pele sua
aguarela no dorso
no finzinho da tarde

como flor airosa
espera que a lua
no céu se guarde
e garbosa aguarde
a noite quente
chuvosa

ah
e no banho
      charmosa
ela se veste de longo
      se despe de rosa


.

10 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

"Despir-se de rosa"....Gostei disso! :-)
Beijos,

Verso Aberto disse...

oi Tânia, que bom que gostou!

sabe
eu usei primeiro a ênclise
mas achei que truncou
aí fui no coloquial e usei a próclise
na tentativa de dar mais fluência ao final

abração procê viu

Adri Aleixo disse...

Coisa mais singela essa tua poesia!
Inspiradíssimo, ocê!

Beijo!

Assis Freitas disse...

um desvestimento (isso existe?)desnudeando-se


abraço

Verso Aberto disse...

oi Adriana

a beleza
nos detalhes
faz parte da realidade da vida

é que a gente não tem encontrado tempo para olhar para ela

abração Adriana

Verso Aberto disse...

concebido em poesia
tudo existe meu caro Assis

abs

MA FERREIRA disse...

Dom é dom né Marco?
Entendo nada de enclise e proclise..
mas meu coração entende o que é belo.... amei teu poema!!!!!!!

( estou ausente dos blogs..... volto só em Novembro )! vou expor em Paris! ebba!!


Verso Aberto disse...

oi Ma
muito obrigado

você é que é muito gentil

sucesso na expo em Paris

abs

Lucielle Wiermann disse...

lindo!

Verso Aberto disse...

oi lucielle

obrigado

abração