sexta-feira

Amor demonho


gazela louca
ela me rejeita
no seu jeito de levar a vida                         
             a se livrar dela
         para aquém dela

não me aceita
segue surda apressada
     comendo insultos
caçando becos alucinada
     bebendo olhares
para a lua de mais longa madrugada

a bela loba prefere os infernos onde se deita
   a me querer
       por temer 
          meu amor demonho 

.

12 comentários:

Daniela Delias disse...

eita...poemaço...

bjo, bjo

AC disse...

Uma loba não se doma.
Grande poema!

Abraço

Adri Aleixo disse...

Esse é o cara!!!

Bravo!

Beijo.

Verso Aberto disse...

Daniela

magia feminina
sob efeito da lua

quem não urra?
rrsrsr

abração

Verso Aberto disse...


doméstica
jamais!!!

muitíssimo grato AC

Verso Aberto disse...

grande Adriana

outro procê


Assis Freitas disse...

a loba que teme
o poeta e os fios
dos seus dentes



abraço

Wilson Torres Nanini disse...

Nenhuma palavra poderia enquadrar melhor esse sentir, né não?

Poemaço, meu irmão!

Abraço, do fã!

Verso Aberto disse...

rapaz,
elas fazem tremer

um abalo sísmico
com epicentro no colo
srsrs

abs Assis



Verso Aberto disse...

que bom receber sua visita Nanini

e num é que ela até assusta de tão precisa rsrsrs

um saudoso abraço mano



Lázara papandrea disse...

maravilha de poema!

Verso Aberto disse...

olá Lázara

que bom
que você veio e
que gostou

abração