sexta-feira

“Bessame mucho”

olho a contornear-te
arco de anca a curvejar
em deliciado bolero a pedir um beijo

arte da dança delícias
toques rosados pelos roçados
espasmos tremores de dorso

delicados cabelos entre dedos
sem medos entre pernas 
sem perdas
ocaso de olhos
de lábios
delírios

8 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Ocaso de olhos! Imagem belíssima...
Beijos,

Verso Aberto disse...

oi Tânia

imagem para olhos fechados
que guardam a beleza dos sentimentos

obrigado pela visita

abração

Macabea de La Mancha disse...

Lindo poema! Um colírio aos olhos para delírio da alma...

Abraço da Macabéa!

Verso Aberto disse...

pernas que não se perdem no bailado dos encontros... a dança acarinha e embeleza a manifestação dos desejos

abração Macabéa

Assis Freitas disse...

são dois pra lá, dois pra cá

e a ponta de um torturante band-aid no calcanhar,



abraço

Verso Aberto disse...

e um beijo no meio
rrsrs

abração Assis

MIRZE disse...

LINDO! Adoro dança! Tango sempre cai bem.


Tão romântico, que não dá vontade de sair daqui.

Beijos

Mirze

Verso Aberto disse...

oi Mirze

as palavras dançam
no ritmo na cadência
na ênfase no silêncio
a música da poesia

fique mais e mais
a casa é sua

abração mana