quarta-feira

despoema de amor

para Marcos Pizano




simulo o poema
tal quem
com cerradas pálpebras
simula um voo

o que chamam “poema”
é de papel

o que tua chamas “poema”
me despoeta

: é alarido
vento
redemunho um
quarto de lua um
quarto de núpcias sem
telhado uma
cama em febre aberta
ao céu um
quarto de hóspedes
com paredes de vidro
plantado insone no jardim noturno
sob um céu interno
estreladíssimo


wilson torres nanini
botelhos, sul de minas

8 comentários:

Verso Aberto disse...

nossa! nem sei o que fazer... então decidi publicar aqui, para registro entre amigos, este poemaço do Nanini

a dedicatória me orgulha, sinceramente

e hospedo-me em sua bela poesia em noite de gala, ouvindo Elomar, abrindo um vinho, dormindo em "céu interno estreladíssimo"

obrigado irmão!

Assis Freitas disse...

rapaz que despoema, diria dez o poema

maravilha


abraços

Verso Aberto disse...

a poesia
quarto de hóspedes com paredes de vidro
imagem e tanto

abs Assis

Wilson Torres Nanini disse...

Pizano,

sempre te disse que do pós-Eros, vc é o sabe cantar melhor.

Os conquistadores sinceros têm muito que aprender contigo. Devem levar seus versos na boca para os disparar, como preces a que não faltarão atendimentos de milagres.

Sempre me vi como um poeta social, mas depois que me deparei com tua poesia, a seta envenada de sedas vem traspassando alguns de meus versos.

Aprendo muito com tua poética, mano-mestre.

Forte abraço!

MIRZE disse...

Que presentão!

Esse está embrulhado com papel dourado. Caiu do céu.

Você merece e Wilson é o Poeta que espalha essas coisas maravilhosas.

Beijos!

Mirze

Verso Aberto disse...

Assis, o Nanini imprime e governa os novos mistérios da palavra

ele é dez
obrigado pela visita

abs, amigo

Verso Aberto disse...

Nanini,

você sabe muito bem que ao longo da vida todos nós acabamos por usar vários uniformes...

mas, pelo menos para mim, acho que chegou a hora de despir a palavra

é um trabalho de militância, sim

e até agora não encontrei nada mais engajador do que o amor por nossas pequenas humanidades

um dia chego lá rsrsrss

abração mano

Verso Aberto disse...

cê viu Mirze?

tô chique demais sô...

baita presente de natal

obrigado mana