sábado

Amor descompassado

disse senões meigos
com silêncios e surdezes
por botões em pequenas nudezes
sonhou a mudez da boca nos seios



a palavra - lírica borboleta
guardarei para cartas amantes
como hoje e como antes
endereçadas à escura gaveta

5 comentários:

Blog do Pizano disse...

Oi gente! Passei a semana preso a uma pergunta: Pode amar um coração desendereçado? Pode transigir o amar desendereçado? Cartas sem correio...

Maria Paula Alvim disse...

Permita-me um pitaco de expertise ( rs). Primeiro prepara-se a terra pra só depois deitar a semente. Primeiro ama-se o amar pra depois amar o amor. O amar desendereçado tem CEP e tudo - uma porção de oitos deitados...
Ficou mto boa a sua trilogia, passo a passo ( descompasso onde?)do re(a)mar.

líria porto disse...

olá poeta - jamais teremos certezas... então, tecemos versos...
besos

Raíz disse...

MUITO BOM!

A certeza sempre duvida!

Beijos

Mirze

Blog do Pizano disse...

... ama-se o amar... para tecer versos... e conviver com a certeza da dúvida!

O negócio é abrir a gaveta e jogar a chave fora.
Obrigado meninas
abs e bjs