segunda-feira

Poematomas - Peso de água

Cachoeira Grande, Serra do Cipó

o verbo voar levita?
evita ele a falta de ar?

o verso não agradara
      recorte involuntário de estranha crueldade
      beleza que certamente não conforta
porque não se conforma
- a poesia em sua materialidade

enchente iminente recitara
arrebatadora natureza de tempestade

mas é com leveza de rio
dureza de pedra
peso de água
que a palavra batera-lhe na cara

  

4 comentários:

Rogerio Martins disse...

e eu, me afogo no poema...

Assis Freitas disse...

este final é de arrebentar



abraço

Verso Aberto disse...

ah Rogério
puro mergulho na palavra
que nos desafoga


abração

Verso Aberto disse...


avalanche
rsrs

abs