sexta-feira

Esquina do fim

Paulo Vieira - figuras sentadas 003

que se esvai 
           abandonando-se 
dedos frouxos na tramela
                           trêmula retina
janela sem marquise


(o que pode herdar esta noite dos dias de sobra que não se viram guardar?)


nas correntes do vento 
                         empurradas pela tempestade
desencadear-nos-emos em milagres miragens
recatadamente 

reinará
templo portal do tempo 

estranhado nos olhos 
 publicado na Tertúlia Pão de Queijo



4 comentários:

Wilson Torres Nanini disse...

Pizano e seus poemaços!

Este, em especial, nos impelindo a refletir sobre a efemeridade.

Não é de hoje que adoro tua poética, meu amigo!

Abração!

Assis Freitas disse...

um poema para se gastar o tempo em contemplação



abraço

Verso Aberto disse...

oi Nanini
bom rever vc por aqui

é, meu amigo, com o tempo o olhar também vai ficando distante

abração

Verso Aberto disse...

mestre Assis,

sem amor
o olhar desbota

abração