quinta-feira

A dois, adeus

na cabeça
     um reino alheio ao peito


duma noite de céu aberto
                      frio intenso
ficam mãos
         que perfumam a pele
- a cama macia


deixei-me contigo
na taça
     um vinho permanente
na dança
     braço quente
guardando-te forte


sonhei muito amar seu amor
        mas coração não sonha
        bate
           ou não
                 bate

foste de mim
livre como chegaste

e a gente vai sem jeito
- já que nada se faz desfeito
num adeus
       a dois



6 comentários:

Assis Freitas disse...

adeus a dois
solidão
lado alado


abraço

José Carlos Sant Anna disse...

Puro incêndio de melancolia! Só resta cantar "Tristeza".
Abraços,

Primeira Pessoa disse...

este tango torto,
o do adeus.

um punhal.

beijão,
r.

Verso Aberto disse...


dois voos solitários
rrss

Verso Aberto disse...



e num foi José Carlos?

abs

Verso Aberto disse...



ah Beto
a dança da vida

abs