quinta-feira

Sô Tonim

vejo você sempre 
        no sofá da ausência 
        nas irmãs mansidão 
        nos sorrisos netos 

meiguice 
atitude 
elegância 

tudo refletido neste espelho tempo 
                                      seu rosto 

     disse em nosso leito de morte 
da sua voz serena 
seus olhares azuis 
sua aveludada mão 
     da honra de ser seu filho 

meu mundo
     seu colo 


Publicado na Tertúlia Pão de Queijo



10 comentários:

MA FERREIRA disse...

Poema saudade! lindo....

bispo filho disse...

Nos braços do pai estão o pão, o conforto, a água, o limite e o nosso coração! O maior legado da paternidade, creio eu, é ensinar aos filhos a caminhar. Seu Antonio Olímpio Pizano fez isso bem! Alçar voo e descobrir a paisagem é o grande sentido da vida. E vamos seguindo, aparentemente órfãos, mas, cada vez mais, enriquecendo nossos corações. Abração, mano.

Assis Freitas disse...

rapaz, que trem mais bonito
de fazer rio nos olhos



abração

Adri Aleixo disse...

Não tô podendo ler essas coisas não... choro feito o quê.

Verso Aberto disse...

ah Ma

a despeito do tempo
se esta palavra tem um nome
é pai



Verso Aberto disse...

Bispo
meu pai teria dito isto

amigo
nem sei o que dizer

sinta um forte abraço
meu e dele

Verso Aberto disse...

Assis

sempre que vou lá
sento-me na poltrona dele

nada mais

Verso Aberto disse...



ai Adriana
nada mais bonito que chorar


como agora

José Carlos Sant Anna disse...

É uma lacuna que fica, jamais preenchida.
Abraços, Pizano,

Verso Aberto disse...


mas é também uma presença
que nos completa

abs José Carlos