sábado

Um poema para uma palavra


amor de esquina
fluindo dança mansa
salto alto bico fino
elegantar de anca
passos entre dentes
versos comparsados

- esta bela palavra cadela

poema torpeço quente
a espalhar sua beleza bailarina
a espelhar sua pele de estrela 

6 comentários:

Ana Ribeiro disse...

Não há beleza. Há o olhar. Gostei do ângulo, e também do que viu.
Abraço, poeta.

paulo vieira disse...

bom poema pizano! Obrigado pelo post sobre meu "polegar direito". abç!

paulo vieira

Verso Aberto disse...

oi Ana,
é que a gente pouco dobra estas esquinas humanas
são mais estranhas de longe

grato pela visita
abração

Verso Aberto disse...

ô, Vieira
gostei muito do seu livro
suas palavras conversam com seu traço
e o papo vai longe... você vai ver

forte abraço

Daniela Delias disse...

Muito legal o ritmo do poema...doce e sensual. E a imagem o deixou ainda mais lindo.

Bjão, Marcos!

Verso Aberto disse...

ô Daniela
muito obrigado

também é bom revigorar nosso olhar sobre algumas palavras, das quais fugimos, porque elas, no fundo, nos desconsertam

abração