sexta-feira

inferno que voa


Parece pôr do sol,
















só que não.

imita o belo tombar do sol
mas é poeira inane
a mesma em que engelho

o nome escorre água
mas não vinha vida
nem ilumina primavera

é ribeirão preto
margeado de vermelho
chão de interno degredo sertanejo

no inverno do inverno
o vento abrasa a mais intensa aridez
todo o inferno em um único greto


Um comentário:

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Tristes imagens, amigo!
Porém bonitos os versos.
Parecem dois universos
Ns fotos - eis o perigo.

Porém eu tenho comigo
Que ter retornos inversos
Ao transcurso dos perversos
Males, já foi sonho antigo.

Está ferido este mundo
Pelo desprezo profundo
Dos atuais governantes.

Trump quer o mundo imundo.
E o planeta rotundo,
De fôlegos agonizantes...

Grande abraço. Laerte.