sábado

Tarde


não vieste 
  na tarde viraste paisagem 
  e o céu já cora 
  a lágrima que enviaste 

na lente rosé da taça de vinho 
   que o sol 
       também sozinho 
             logo se guarde 
                 a esperar amanhã 

  se é amor 
  não encarde 


3 comentários:

Anônimo disse...

Lindo Poema, meu Camarada! O Amor está te fazendo muito bem.

Anna Amorim disse...

Do vazio desta tarde foi feita uma construção plena de saudade!

Assis Freitas disse...

um céu que cora

tão cardo




abraço